Natal - Brasil

Contexto
Capital do Rio Grande do Norte, Natal é ensolarada praticamente o ano todo: são mais ou menos 300 dias anuais de sol sobre uma costa de dunas, recifes, falésias e piscinas naturais. Na região metropolitana, há praias urbanizadas com calçadão e quiosques. A principal delas é Ponta Negra, onde está a maior parte das pousadas, restaurantes e bares, boa para quem procura agito e não se importa com os vendedores ambulantes na areia. Outras praias urbanas como a do Meio (que tem a maior orla da cidade), a dos Artistas (uma das preferidas dos surfistas) e a Areia Preta (com piscinas naturais na maré baixa) não são boas para banho por causa de seus recifes e pedras submersas.
Um pouco mais afastadas do centro, seguindo pela Via Costeira, ficam as praias mais bonitas de Natal. No litoral sul, vale visitar Pirangi (na verdade duas praias, já que o rio Pirangi divide as areias), que abriga o maior cajueiro do mundo, Búzios (de mar bem agitado), Tabatinga e a Lagoa de Arituba (uma das mais bonitas do Estado) Tibau do Sul, (freqüentada quase o ano todo por golfinhos), e a Praia da Pipa, refúgio descoberto por surfistas nos anos 70 e hoje a mais badalada e famosa.
O outro sentido da Via Costeira leva às praias do litoral norte potiguar. Genipabu é uma das primeiras, cheia de dunas (e turistas), e com programas divertidos como buggy, sandboarding (surfe nas areias) e pára-buggy (pára-quedas rebocado pelo carrinho). Mais adiante ficam a praia e a lagoa de Jacumã (também com atividades animadas como o teleférico radical nas águas da lagoa, e conhecido – não por acaso – como “aerobunda”), Maxaranguape (uma das prediletas dos natalenses), o Cabo de São Roque (ponto geográfico do Brasil mais próximo à África), e Maracajú (onde há formação de “parrachos”, piscinas naturais repletas de peixes), o melhor ponto para snorkeling da região.
De volta à metrópole e longe das areias, o museu de Arte Sacra, o Memorial ao folclorista potiguar Câmara Cascudo, a catedral e o Forte dos Reis Magos podem ser boas pitadas de cultura ao roteiro. Quando a noite cai, a orla de Ponta Negra vira centro de badalação e, toda quinta, a antiga penitenciária abriga o “Forró com turista”, misto de aula coletiva de dança com festa. Em novembro há o Carnatal, carnaval fora de época com direito a trio-elétrico e micaretas pelas ruas da cidade.
Curiosidade: segundo a Nasa, agência espacial americana, Natal tem o ar mais puro das Américas – mais um motivo para visitar.