ESTRATÉGIA DA GLOBO.COM - Pernambuco Turismo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

05 junho 2011

ESTRATÉGIA DA GLOBO.COM


Publicado por Sergio Langer
A nova estratégia da Globo.com
05/05/2008
As Organizações Globo esperam começar a ganhar dinheiro na internet quando a banda larga se popularizar no país, algo que, segundo o presidente-executivo da Globo.com, Juarez Queiroz, está próximo de acontecer. Essa frase foi dita na época do lançamento do portal da Globo.com.

A Globo teve uma entrada considerada tardia na internet em março de 2000 e passou por alterações no modelo de negócio. Mas a estratégia do portal nunca ficou realmente clara. Desde uma reestruturação feita no início de 2001, a Globo.com se firmou como a divisão que levaria a emissora de TV para a internet.

O portal surgiu com um grande aporte financeiro. A Telecom Italia pagou, em junho de 2000, US$ 810 milhões por 30% do capital da Globo.com
Com uma campanha estrelada por artistas de seu elenco, todos chamavam para o endereço globo.com.

globo_com_03200

Hoje, a Globo.com tem subido vários degraus nos índices de audiência, com inovações inéditas e ousados projetos de jornalismo e entretenimento, como o G1, que reúne o conteúdo das principais operações da empresa, como a TV Globo, GloboNews, rádios Globo e CBN, jornais O Globo e Diário de São Paulo, revistas Época e Globo Rural, entre outras, além de reportagens próprias em formato de texto, áudio e vídeo.

Esse é um dos principais trunfos das Organizações Globo na internet: um rico conteúdo multimídia, capaz de reunir vídeo, texto e áudio por meio de suas várias operações de mídia, que passam por TV, rádio, revistas e jornais.

Um número mostra a força da empresa da família Marinho. Em janeiro deste ano, a empresa teve 50 milhões de vídeos vistos. Será o efeito do Big Brother?

Hoje é comum ver apresentadores como Faustão ou Xuxa promovendo a Globo.com durante seus programas. O reality show Big Brother Brasil, responsável por grande parte da audiência do portal em janeiro, também virou uma fonte de receita ao ser oferecido por alguns serviços de banda larga, como o BrTurbo e o Speedy.

Vídeos e o G1

A Globo.com vem buscando gerar receita aumentando a audiência de seus sites, atraindo seus anunciantes na TV para a mídia digital.

Com campanhas casadas entre os programas televisivos e os sites do portal, iniciativa chamada cross media, a Globo.com espera que até 30 por cento de sua receita seja propaganda online, apostando que o restante possa vir com a futura distribuição de conteúdo às telefônicas e acesso à rede.

A preparação incluiu a criação de mais de 30 sites para o portal em 2001 e o lançamento de 10 ferramentas, como busca e serviços de bate-papo.

Em dezembro de 2001, a Globo.com chegou ao 3º lugar da audiência com 2,7 milhões de visitantes únicos, de acordo com o instituto Ibope/eRatings. Um ano antes, o portal ocupava a 8º posição, com 1,2 milhão de visitantes. Atualmente a Home da Globo.com tem mais de 3 milhões de visitantes por mês.

A nova estratégia da Globo 
Cada vez mais leve e interativa, a home da Globo.com teve sua primeira grande mudança em 2001, ano seguinte ao seu lançamento.

Em 2003, ela abraçou uma grande evolução: o destaque para os vídeos, já pensando no crescimento da banda larga no Brasil. A área de vídeos do portal apareceu com o nome de Globo Media Center. Era um novo jeito de se assistir vídeos pela internet. No final de 2006 a Globo fez algumas mudanças. O Globo Media Center não era mais todo em Flash, passando todo seu conteúdo para HTML. Mas a principal mudança: seu novo nome agora era Globo Vídeos. Um nome mais popular.

Uma das diferenças que o internauta logo percebe é a melhor resolução (1.024 x 768 pixels), que deixa o visual ainda mais leve e abre espaço para o conteúdo. Hoje existem mais de 100 mil vídeos no catálogo.

Em 2005, o esporte passou a ter maior destaque com o lançamento do GloboEsporte.com, que ganhou uma seção fixa. Desde então, o conteúdo próprio da Globo.com se dividiu, em esportes, entretenimento, vídeos e notícias, com o G1, cujo lançamento também coincidiu com uma nova cara da Globo.com, no ano passado.

Depois de investir milhões divulgando o domínio globo.com as Organizações Globo começam a promover o domínio G1. Programas de jornalismo da TV Globo como Jornal Nacional, Jornal Hoje, Globo Repórter, Fantástico entre outros, estão divulgando o novo endereço de seus sites com o g1.com.br antes do nome do programa.

Na parte de vídeos a Globo.com sofre grande concorrência do YouTube, que disponibiliza seus vídeos gratuitamente. Na Globo.com quem não é assinante do provedor ou do serviço de vídeos (que também é vendido separadamente) pode assistir apenas a alguns vídeos livres, mas em qualidade de banda estreita.
É autorizada a reprodução deste artigo para fins não comerciais desde que o autor e o sitewww.marketingdigital.com.br sejam citados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário